Kia Ora Travel

Kia Ora Travel
Viaje Com Segurança À Bordo da Kia Ora Travel. Tenha descontos Falando Que Acessou Via Bootlegs KISS!

Bem vindo!

God Gave Rock And Rock To You, Gave Rock And Roll TO YOU! Put It On Soul Of Everyone!

===== 150 SEGUIDORES! =====



Pergunte Qualquer Coisa Para Os Uploaders no "Formspring Me"


Faça Parte da Comunidade no Orkut!


-> Learn Portuguese!!! HERE!!!


##########URGENTE##########

BOOTLEGS KISS -> Top 100 em Música no ano de 2010

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Artigo #1 - KISS X Secos e Molhados

KISS Contra SECOS & MOLHADOS - EXISTE PIONEIRISMO?

Este é O PRIMEIRO artigo do Bootlegs KISS e é sobre um assunto que já foi muito discutido em sites sobre KISS e sobre Secos e Molhados, em comunidades do Orkut, em blogs profissionais e etc, mas o Bootlegs KISS quer colocar o dedo nesse bolo também.
Bah, vamos com calma... Estamos trazendo a tona novamente um assunto que coloca 2 bandas que foram fenômenos de inovação, na mesma época,fazendo a mesma coisa, em dois locais específicos e totalmente diferentes.

O Bootlegs KISS não tem intenção de plagiar idéias,ou qualquer coisa do tipo, apenas de explanar da sua forma os fatos sobre essa lenda fantástica do Rock. Todas as consultas que eu fiz para concluir meu estudo sobre o assunto, serão postados como fontes de pesquisa. Já existe o suficiente sobre essas polêmicas, estamos apenas relatando da nossa forma para que discussões legais apareçam.


O CENÁRIO MUSICAL

De um lado, vem o KISS, banda formada embrionáriamente em 1970 com o nome de Rainbow, transformada em 1972 em Wicked Lester e enfim, em 1973, confirmada com o nome pelo qual seria reconhecida pelos próximos 40 anos, KISS. Nascida em New York, útero de inovações bizarras no rock and roll, a banda viu em se maquiar uma grande forma de expor suas personalidades e ser diferentes de todas as outras fantásticas bandas que surgiam naquele período no cenário do rock americano. Do outro lado, eis o Secos & Molhados, banda brasileira nascida em 1971, fundada por Ney Matogrosso que via nas maquiagens apenas mais uma forma de ser legal, mas só conhecida em 1973. Diferente do ambiente americano de fascínio pelo novo e bizarro, no Brasil a situação era outra... Em 1967 o país havia visto a grande passeata contra a guitarra elétrica, encabeçada por Elis Regina, Gilberto Gil e Caetano Veloso, e em 1973 os brasileiros ainda não engoliam muito bem o Rock And Roll estrangeiro, e no Brasil, não havia nada próximo de Hard Rock pesado, para começar. Durante os anos 70, nos Eua já havia acabado com o Movimento Hippie e iniciava uma cena de rock mais obscuro, e o Brasil paralizado em função da Ditadura Militar, pouco soube sobre o assunto. Gírias hippies só chegaram aqui em meados de 1971. Isso nos dá mostras de como o ambiente musical brasileiro era fechado para qualquer tendência americana, e vice versa. Não havia interesse mundial no tropicalismo brasileiro, que era um ambiente de críticas ao governo totalitário que reinava aqui.


O QUE CADA UM DIZ?

Para entender uma lenda ou uma polêmica, temos que ir à fonte, então devemos ver o que gerou a lenda... Tudo começou com uma frase de Ney Matogrosso:


'...o Kiss é que copiou a gente! A banda já era um estrondo no Brasil e fomos ao México. O sucesso lá foi tanto que ficamos mais uma semana. A Billboard tinha publicado uma foto nossa de página inteira e dois empresários americanos quiserem me levar para os EUA. Recusei a oferta: ''Estou começando uma história no meu país e quero dar seqüência a isso''. Não queria acabar como Carmen Miranda. Inclusive disseram que minha imagem era boa, mas que o som tinha que ser mais pesado. Eu não ia mudar nosso som por causa disso. Viemos embora. Uns seis meses depois começou o Kiss, com uma maquiagem como a nossa e um som mais pesado.'' [Ney Matogrosso]


E o que os membros do KISS falam sobre isso?

Gene Simmons falou a um blog brasileiro [Comércio de Jabu] quando perguntado se conhecia a lenda do plágio:


"Conheço essa lenda. Já ouvimos falar dessa história. Não é verdade. Muitas pessoas acreditam nisso, mas também há muitas pessoas que acreditam em discos voadores, não?"


QUEM ESTARIA CERTO?

Devemos analisar os fatos. Se você pegar a cronologia das duas bandas, vê que as palavras de Gene Simmons faz muito mais sentido que as de Ney Matogrosso. Conforme diz Ney, ele fala que a banda já era um estrondo no Brasil, mas procure por qualquer registro do Secos e Molhados em 1972. Você achou? Provavelmente não. Porque seria?



Secos e Molhados nasceu em 1971 com o nome de Eric Expedição, e o máximo que obteve foi uma pequena nota no jornal Ultima Hora. A banda ainda não tinha Ney Matogrosso, e era apenas um grupinho qualquer que existia no Brasil. Diz a lenda que quando conheceram Ney em novembro de 1971 eles ainda nem imaginavam em máscaras, mas após formado o trio que viraria Secos e Molhados, eles marcam um show e Ney chega super atrasado de uma peça que contracenou, cheio de purpurina na cara e semi nu, conforme lembra o próprio Gerson Conrad para a SUPERINTERESSANTE [Que defende que o KISS foi influenciado por eles]. A Banda não passou de sucesso underground durante todo o ano de 1972. Mas vamos dar um pause e pular aos EUA.

Em 1971, Ron Leejack, Chaim Witz [Gene Simmons], Brooke Ostrander Tonny Zarella e Stanley Eisen [Paul Stanley] formavam o Wicked Lester. Após algumas formações frustradas em 1971, o grupo se estabiliza em 1972 como um trio, com Gene, Paul e George Crisscuola [Peter Criss] e nesse exato momento, estavam a frente dos Secos e Molhados. A Banda se apresentava com seus rostos totalmente pintados de branco, sem desenhos e gravou um disco que nunca foi lançado. Já focavam o sucesso enquanto o Secos e Molhados ainda eram um embrião.

Por enquanto, estamos vendo que enquanto o KISS já escondia as faces desde 1972, o Secos e Molhados eram uma banda de cara limpa nesse mesmo período! Isso destrona a primeira frase de Ney "O KISS COPIOU A GENTE". Agora temos que entender, QUANDO A BANDA REALMENTE VIROU UM SUCESSO NO BRASIL.


THE SUNSHINE

Vendo o site oficial do SECOS E MOLHADOS, no ano de 1973, em Janeiro eles ainda estão no Rio e demoram para conseguir o OK para a criação do disco. Apenas em 23 de Março de 1973 que a banda entra em estúdio. Quinze dias depois o album estava pronto. AI SIM, Secos & Molhados fizeram sucesso. Usando maquiagens e máscaras, além de roupas carnavalescas, a banda atraiu a atenção do público pela sua peculiaridade. Em 06 de Agosto, a banda faz o primeiro show com um disco, na Rui Barbosa, em São Paulo. Apenas em 09 de Setembro eles viram fenomeno, ao aparecerem no programa de televisão ''Fantástico''. Batem vários recordes de público no Brasil, durante Novembro e Dezembro, onde enfim terminam a temporada de 1973 no Brasil. APENAS NO BRASIL.

E o KISS em 1973?



9 de março de 1973, alguns dias antes do Secos e Molhados entrar no estúdio, o KISS tocou em um lugar chamado The Daisy, em Nova York. Curt Goof e Jeff Suhs criaram um livro, "KISS Alive Forever", onde mostram as seguintes fotos que eu mostrarei abaixo, datadas de 10 de março de 1973, ainda antes do Secos e Molhados entrar em estúdio. As maquiagens ainda evoluiriam muito, mas já tinham desenhos diferente de 1972.

Chegamos ao ponto onde mais trechos do que Ney falou, quebra como vidro em contato com pedras. A banda ainda não era estrondo nenhum quando o KISS experimentava diversas maquiagens. Era uma banda lutando para gravar um disco e não tinha qualquer pensamento formado sobre as maquiagens. É o suficiente para dar um ponto final? Sim... Mas ainda tem coisas que podem ser esclarecidas.


O Que foi as máscaras para cada banda?


Para o Secos e Molhados, um mero acidente. Como já foi falado, a banda pensou na probabilidade de tocar mascarado ao acidente de Ney chegar atrasado em um show. A banda usava maquiagens esporádicas, que sempre mudavam e não tinham sentido. Muitas vezes a maquiagem era trocada por máscaras,uma vez que João Ricardo ODIAVA se pintar. O baterista Marcelo Frias se opôs tanto as máscaras e pinturas, que deixou a banda, como testemunha o fotografo da banda, Antonio Carlos Rodrigues:

"O pai de João Ricardo trabalhava comigo no Última Hora e pediu que eu desse uma ajuda aos meninos. Vi um show deles, que ainda faziam sem máscaras. Falaram que a gravadora não acreditava neles, que tinham uma quantia insólita para me pagar. Mostrei as fotos da Fotoptica. Acharam arrojado demais, mas entenderam que era uma grande ideia."
"Um dos quatro, o baterista Marcelo [Frias], não gostou da ideia de se maquiar, tanto que saiu do grupo logo depois. Ney no máximo usava batom antes disso."

(A banda quase sem nenhuma maquiagem)


(João com a cara limpa, em foto ampliada)


lsso tudo só deixa claro como as máscaras era mais um problema no caminho da banda do que a salvação... Ao contrário dos meninos de New York.


Para o KISS, as maquiagens sempre foram muito bem pensadas. Foi inspirada no teatro japonês, onde os artistas se pintavam para estrelar seres malignos e etc. O KISS pensou em colocar em seus rostos, algo que mostrasse coisas de seus interiores. Paul Stanley decidiu uma estrela,para simbolizar seu desejo de ser rockstar, Gene Simmons quis encarnar o demonio por amar filmes de terror, Ace Frehley quis se transformar no Homem do Espaço, e Peter Criss sempre quis ser o Homem Gato por acreditar ser um gato em vidas passadas. Em 1973 enquanto o Secos gravavam o disco, o KISS com Ace Frehley já era um fato e tinha maquiagens fixas, que duraram até 1983, quando eles a retiraram até 1996:





Quem eram tais empresários de 1974?

Secos e Molhados realmente foram ao México, mas isso foi bem depois do primeiro show do KISS mascarados, oficialmente em bares de nova york. Mas ele nunca citou o nome dos 2 empresários, E PARA MIM, se você não citar nomes, datas, locais, perde a credibilidade. Gerson Conrad diz que um deles se chama David Ruffino, mas alguém já ouviu falar dele? Sabemos que o KISS teve apenas 1 empresário, durante o início da carreira, o grande Bill Aucoin, que sempre cuidou da banda como seus filhos primogênitos.

Palavras de Emílio Pacheco: Para ele, tudo o que aconteceu no México, foi real, porém eram empresários de pequeno porte. Se isto é fato, Ney achou que eles eram grandes caçadores de talentos, porque em 6 meses achar 4 garotos talentosos assim e enfiar neles todas as idéias das make-up, é surpreendente. Fica registrado aqui então, uma visão divergente sobre este tópico do assunto. =] (Vide Comentário)


Fins, ou Enfins:

Ambas as bandas lançaram-se no início de 1970, e ambas usaram maquiagens, porém ao que tudo indica, nenhuma sabia da existência da outra, até que a fama de ambas se deparassem. Então... Os 2 são pioneiros? NECAS. Outros caras usavam maquiagens antes de KISS e Secos & Molhados.


Alguns Exemplos:

* David Bowie durante sua fase como Ziggy Stardust

* Arthur Brown durante o início de 1968

*Banda de rock Progressivo Osanna em 1970

*Alice Cooper durante os anos 70


Devemos tirar então dessa experiência que KISS não copiou Secos e Molhados, e o contrário também não ocorreu. Pintar a cara era algo comum em 1970 onde todos queriam aparecer, e essas são com certeza 2 dos maiores impactos musicais de 1970. Não apenas pelas maquiagens, mas pelas músicas, as 2 bandas merecem todo o sucesso que tem.

Abaixo, mais fotos do KISS em 1972 e 1973. Comentem e quebrem o barraco. Espero que o texto não tenha ficado muito pobre.

Phelipe G. Sant'Anna Maciel [Phelipe Stanley]




18 comentários:

  1. Tá feito nos 2 blogs.

    http://combe-do-iommi.blogspot.com/
    http://vansucks.blogspot.com/

    Até!

    ResponderExcluir
  2. Phe, esse artigo serve prá uma discussão de meses!!! Muita coisa já foi postada sobre isso. Ví a algum tempo atrás uma matéria do Zé Rodrix que afirmava que Gene e Paul o haviam procurado, e até mesmo comeram uma feijoada juntos!!! Preciso achar esse artigo, e te passo o link. Rí muito, pois em 73 Gene e Paul estavam tão endividados, trabalhando de dia e ensaiando à noite, que não vejo como eles conseguiriam vir ao Brasil a procura de idéias, já que eles tinham tudo na cabeça, claro que de forma primária. Ótimo tópico. Vou ver se acho algo no livro deles: KISS por trás da máscara. Beijinhos...

    ResponderExcluir
  3. nunca acreditei que o KISS tivesse copiado o Secos, esse post só reforça o que eu penso

    ResponderExcluir
  4. Phelipe, só não concordo quando você põe em dúvida a veracidade sobre o que aconteceu no México. Não vejo por que duvidar do que eles relatam. Ney foi procurado por dois empresários no México com uma proposta de levá-lo aos Estados Unidos. Esses empresários deviam ser inexpressivos e Ney fez bem em não aceitar.

    Quanto ao relato de Zé Rodrix, o que aconteceu foi que o bailarino Lennie Dale levou dois americanos para comer uma feijoada na casa deles em 1973 e Zé mostrou para eles a capa do disco dos Secos e Molhados. Zé morreu acreditando que eram Gene Simmons e Paul Stanley. Eu conhecia o Zé da Internet e cheguei a contestar a informação. Ele admitiu que nunca confirmou a identidade deles, mas estava convicto de que eram Gene e Paul. Eu digo que ele estava enganado.

    ResponderExcluir
  5. Phelipe, essa estória já deu (e vai dar ainda) muito pano prá manga. Espero que essas discussões sobre quem veio primeiro, só faça aumentar o interesse dos fãs do Kiss (aqueles não tão xiitas) nessa banda revolucionária e, sim, visionária numa época onde não existiam direitos, somente deveres. Outra coisa: o que importa quem copiou quem? Isso vai mudar alguma coisa a título de admiração dos fãs por essa ou aquela banda? Se isso acontecer, então não eram fãs. Lavoisier disse: "Na natureza, nada se cri, tudo se transforma." Na arte, pouco se cria e muito se copia, e isso não desmerece ninguém.
    Abs.

    P.S. Sobre a foto cuja legenda é Gerson Conrad sem maquiagem, aquele é o João Ricardo. O Gerson está na foto maior, atrás do Ney.
    É Isso.

    ResponderExcluir
  6. Belo post! Aguardando mais posts calientes em relação a história do KISS. Abs!

    ResponderExcluir
  7. Não acredito que o Kiss copiou o Seco e Molhados, não sei quem está certo ou errado, mas para mim todos deviam acabar com esse papo e seguir em frente. o Ney Matogrosso com sua música e o Kiss com o Rock, para mim só foi uma pura coincidencia, ou uma coisa iventada pela mídia, mas para falar a verdade acho que não tem nada ver um com o outro !!!

    Valeu e continuem com os artigos !!!

    ResponderExcluir
  8. Concordo com a interpretação de que ninguém copiou ninguém.... Vários grupos se pintaram na década de 70... Era parte do padrão de cultura alternativa que circulava à época, prática que já havia dado os seus primeiros passos em Woodstock...
    Parabéns pelo artigo...

    ResponderExcluir
  9. O momento artístico do final dos anos 60 foi uma época em que o show marcado pela imposição visual esteve em evidência.

    Ter a cara pintada era um artifício que alguns artistas já estavam usando,tal como o New York Dolls, junto com o Kiss e os Secos e Molhados.

    Entendo que não houve uma intenção deliberada de um copiar o outro. Ambos são artistas de destaques, com propostas de show parecidas até hoje - cada um em seu gênero - de impressionar pelo aspecto cênico. Pertenciam a mesma corrente de idéias sobre apresentação. Digno do movimento Glam. Foi uma corrente artística do final dos anos 60 que viabilizou a coincidencia.

    Mas as caracterísiticas que mais aproximam os dois é o fato de seram ambos artistas de sucesso absoluto.

    ResponderExcluir
  10. Gostaria de dizer também que sou um grande admirador do Blog. Este mês, baixei mais de 35 shows da Tour-2010! Estou curtindo com calma, show a show.

    Peço perdão por não ter mais tempo para postar comentários. Há muito o que se falar sobre o Kiss. Não há um só dia que eu não venha dar uma espiadinha no que está sendo postado.

    Mais uma vez, parabens pelo BLOG, não desanime. E parabens tambem pela pauta de discussão. Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  11. Phe, achei algumas curiosidades na biografia do KISS, prá justificar as datas...
    - O Kiss, mesmo quando era um trio (Paul, Gene e Peter), já ensaiavam com maquiagem; isso foi no final de 1972, pois Ace entrou para a banda em dezembro de 72;
    - no 1º show da banda, em 30 de janeiro de 1973 no Coventry, eles já estavam maquiados, embora ainda não fosse a maquiagem definitiva;
    - o 1º agente deles chamava-se Lew Linet, que era o empresário do Wicked Lester; depois Bill Alcoin conheceu a banda.

    A discussão é boa. Todos têm o seu valor. Secos e Molhados foi um marco para a música brasileira, pois apresentava algo novo, desafiador, com Ney dando um show. O Kiss estava surgindo, pronto para arrasar. Como disse Gene: "tinham decidido que usariam maquiagem e que a imagem do grupo seria sombria, emocionante e maior que a vida...". E é assim até hoje...

    ResponderExcluir
  12. OLha ...
    Eu já to de saco cheio dessa bicha ridícula do Ney Matogrosso ficar falando essa sandice !!!
    gente ... caiam na real ...
    A proposta de um não tem nada a ver com a proposta de outro.
    E tem mais ... Em 1973 o cenário Novayorkino estava bombando de todas as formas. As tendencias explodiam como vulcão em erupção. Então porque diabos alguem iria vir ao Brasil que na época torrava o saco com bossa nova e tropicalismo sem tempero algum para copiar um estilo, visual ou sei lá o que essa porcaria de Ney Matogrosso pensa .
    Se toca bicha velha ...
    Kiss é história ... Vc não !!!

    E viva o Kiss bootlegs !!!

    Ps: espero ter esclarecido isso de uma vez por todas !!! Pois sou fã do Kiss desde 82 e ja estou de saco cheio dessa comparação !!!

    Abraços !!!

    ResponderExcluir
  13. Só quero deixar claro que adoro o Ney Matogrosso também, e não acho que ele esteja de canalhice, apenas acho que justamente pelo o que eu disse no post, o BRASIL era muito fechado pro mundo em 1973, e talvez ele só conhecesse David Bowie e Alice Cooper, que usavam mascaras muito diferente das que KISS e Secos usaram. Por isso, ele desconhecia as bandas Underground do momento, que eram Wicked Lester, Osanna e etc, onde esses sim, usavam maquiagens mais elaboradas que as do Secos, já em 1971! Por desconhecer esses fatos, ele falava essas coisas.

    ResponderExcluir
  14. Antes eu achava q o Secos e molhados copiaram o KISS,pelo famoso ditado:no brasil nada se cria tudo se copia,mas no secos nem todos os integrantes usavam maquiagem como no KISS,sem falar q o estilo musical é muito diferente,entao agora eu acho q ninguem copiou ninguem.Mas essa historia de feijoada com o gene e o paul eu achei bem louca,rs.

    ResponderExcluir
  15. porra com esse texto, o que era claro, virou um clarão ! Claro que ninguem copiou ninguem.
    parabens pelo texto, mto show !
    Danilo (http://caipirarockcity.blogspot.com/)

    ResponderExcluir
  16. Não sei quem veio primeiro e quem veio depois, sei que eu gosto de Secos & Molhados e não gosto de KISS, não ficar me justificando do porque, além do que Secos & Molhados é muito melhor isso é óbvio!

    ResponderExcluir
  17. Na verdade, no Rio em 72 estava começando um movimento de rock. Toda a história que o Ney e o Conrad contam é verdade, e os Secos já eram uma expressão underground na época. O fato era que as gravadoras ainda não acreditavam que uma banda/ artista de rock fora dos padrões dariam em alguma coisa, mas um disco lançado é sempre uma vitrine. Na primeira apresentação na tv (Tupi), eles cantaram duas músicas, e em uma semana, venderam 15 000 cópias que eram pra serem vendidas em um ano. O problema é que a gravadora Casablanca era conhecida pelo tino pop de aproveitar todas as ondas e quando o KISS foi lançado no Brasil, a gente lembrou dos Secos imediatamente. Mas as duas bandas são muito boas, os Secos abriram portas importantes aqui, que gringo nenhum abriu (o primeiro mega show foram deles) e fizeram algo muito importante: recriaram a indústria do disco no Brasil, desde a forma de publicidade (a imagem), até os shows (músicos e atores). É isso aí.

    ResponderExcluir

Quem Gostou Deste, Também Baixou Estes:

Related Posts with Thumbnails